2.12.07

You live race, you learn

A prova de nanofotônica, tal como a lista de exercícios, foi estranha. Quando entreguei-a, podia jurar que todas as questões eram bastante simples, bastando algumas substituições em algumas integrais para chegar nas expressões solicitadas. Mas, três horas mais tarde, passei em frente à sala e encontrei meus colegas ainda lá dentro, com tábuas de integrais e folhas e folhas de cálculos, confesso que fiquei com um certo medo de ter perdido algum ponto fundamental. Resultados nesta terça, só resta aguardar.

Depois da prova, apresentação do meu seminário de metodologia de pesquisa, que serviu para me mostrar quão difícil pode ser expor um tema especializado à um público que não entende nada da área. Mal comecei a apresentação, me enrolei ao tentar ligar as diversas áreas que compõe o trabalho, e ainda fui criticado pelo professor que não gostou nada do meu slide de "sumário da apresentação". Mas acho que consegui salvar de um desastre conforme fui chegando nos resultados, e mostrando que meu trabalho pode ter alguma aplicação prática. Noves fora, não foi ruim. Por fim, às 18h30, praticamente como recompensa por ter ficado até mais tarde no campus, recebi de volta minha prova de Teoria Eletromagnética. Com um 8.96, não posso me queixar - mantenho-me no páreo para ainda tentar um A.

À noite, aniversário da minha irmã, ao qual fui na companhia do Pedro e do Franco. Dada a corrida no dia seguinte, fui embora cedo - não que eu precise de muitos motivos para ir embora cedo, mas não quero devanear agora sobre o desperdício que a juventude atual faz com a sua vida.

Então, sábado, 3o lugar nos JIRGS, prova de 60km disputada na Av. Beira Rio, aqui em Porto Alegre. Não ganhei por um ponto, e perdi o 2o lugar no critério de desempate, mesmo assim, foi um bom resultado, uma bela corrida. Hoje, 120km da Volta de Sapiranga, que pode ser resumida como "o dobro de ontem": dobro da distância, dobro de atletas.. e minha colocação "dobrou" do 3o para o 6o lugar. Senti a falta dos guris andando comigo; lutar sozinho foi complicado. Ainda assim, mesmo com o cansaço da temporada inteira se acumulando, estes bons desempenhos renovam a motivação para a preparação do ano que vem. Por fim, uma nota de agradecimento ao Rocca, que topou a indiada de sair antes do sol raiar para dirigir o carro de apoio. Te devo uma Pale Ale!

2 comments:

Rocca said...

Segura a Pale Ale até a próxima vitória. (=

monimay said...

"A prova de nanofotônica, ... fiquei com um certo medo de ter perdido algum ponto fundamental."

Don't worry sweetie!
Eu lembro uma conversa muito louca q tivemos muitos anos atras: "Nao posso eu ser normal inteligente e a media ser burra??"
Nao, nao pode, tem coisas na vida q a gte nao escolhe. Pensar facil nao eh uma caracteristica ruim! :)
(E sim, tb estou curiosa para saber quais foram os resultados! :) )