7.2.08

Sobre a poça d'água

Há pouco mais de dois anos e meio, eu não fui pra Alemanha. Eu tinha a possibilidade de transferir a faculdade para lá, a exemplo do que fez o Benjamin, e cheguei muito próximo de fazê-lo: havia enviado a documentação, tinha a passagem em mãos, fizeram inclusive um churrasco de despedida. Dois dias antes do embarque previsto, porém, eu cancelei a viagem. Não era o momento, simplesmente.

Investiguei a possibilidade de ir para a Europa quando da minha formatura, mas as condições não eram exatamente as que eu buscava, e a investida foi preemptada. Mas, de lá para cá, como se já dando pela inevitabilidade de que, mais cedo ou mais tarde esta hora iria chegar, passei a encarar meu tempo aqui da mesma forma que eu o via quando estava do lado de lá da poça d'água. Passei a frequentar mais as festas com amigos, passei a curtir novas pedaladas, mesmo por caminhos já conhecidos Aproveitar mais o tempo com meus pais e com a minha irmã. Rir das pequenas coisas, que muitas vezes considero idiotas ou frustrantes, mas que são únicas no cotidiano aqui no Brasil.

Tive um ótimo retorno com esta postura - novas experiências, amizades, perspectivas - que, aliada ao bom desempenho que tive no mestrado, e aos ótimos resultados no ciclismo, explica bastante do meu atual estado de espírito. Por outro lado, um ponto diferente me foi levantado pela segunda vez em menos de uma semana, ao me perguntarem "e os que ficam?" - questionando se é razoável se aproximar tanto, para depois deixar todos para trás. Em ambos os casos, listei como morar longe hoje não implica de forma alguma em perder contato - vôos mais baratos, Skype, ferramentas de IM, etc - mas isto todo mundo já sabe. O que eu não disse, mas considero tão mais válido como argumento, deixo registrado aqui: tendo a possibilidade desta aproximação, desta intensidade, seria justo para com todos não vivê-lo?

1 comment:

monimay said...

O f*da de um mundo globalizado eh isso: ele permite ou exige ou possibilita ou demanda que a gente vah embora. E volte ou nao volte, mas busque seu espaco onde quer que seja e trate de ser feliz.
Nao eh verdade que distancia nao faca diferenca, faz sim. Eh o tempo que tem que ser investido para fazer parte do dia-a-dia que muda.
Mesmo ficando no mesmo lugar nao existe garantia alguma que amizades nao se percam, amores nao se quebrem, lacos nao se partam. Relacionamento sempre eh trabalho e investimento - e isso independe de onde se estah.
A vida eh um fluxo, tudo muda, e tudo permanece o mesmo...
"It is a dangerous business," Bilbo reminds Frodo, "going out of your door. You step into the Road, and if you don't keep your feet, there is no knowing where you might be swept off to."